Um olho no peixe e outro no espelho

O estrabismo é uma situação bastante comum entre gatos, e – ao contrário do que a maioria pensa – ela não é apenas uma questão estética. Confira tudo o que você precisa saber sobre esse desvio ocular.

Quais são os tipos?
Convergente, quando o animal olha para o próprio nariz, e divergente, quando os olhos estão voltados para os lados.

O que causa?
Na grande maioria das vezes a causa é de origem muscular (ou seja, ocorre uma flacidez no músculo responsável pela estabilização do olho) e é passada de pai pra filho, mas outros fatores também podem provocar esse desvio, entre eles: tumores cerebrais, hidrocefalia, traumatismos cranianos, entre outros.

Quais são os malefícios?
O principal problema relacionado com o estrabismo é a perda da noção de profundidade (capacidade natural de calcular a distância entre as coisas), o que faz com que eles fiquem mais suscetíveis a batidas de cabeça e saltos fracassados por aí.

Como fazer o diagnóstico?
Tudo bem que o problema está na cara (brincadeiras à parte), mas o diagnóstico deve sempre ser realizado e acompanhado por um veterinário, já que a origem e os tipos são variados. Alguns exames envolvem até tomografias, ressonâncias e eletroencefalogramas. Outros são apenas resolvidos com um exame clínico.

Existe tratamento?
Somente quando a causa é a neurológica, nunca por uma questão estética.

Em quais raças ele é mais comum?
Siamês, Persa, Angorá e Red Point.

É impossível resistir ao charme de um gatinho estrábico?
Sim, é impossível. <3